Alguns atores iniciam suas carreiras ainda jovens. Penn Badgley “era um profissional” aos 12 anos. Sua primeira aparição na TV foi em um episódio de “Will & Grace”, em 1999. No ano seguinte, ele estreava nas telonas, e se tornava um nome familiar como protagonista em “John Tucker Must Die” seis anos depois. É claro, suas aventuras na TV continuaram, principalmente no popular drama adolescente “Gossip Girl”. No momento, no entanto, ele está atuando em “You”, um thriller psicológico que lida com horrores modernos como perseguição através da mídia social. Entrar no cérebro de alguém fazendo o papel principal em um show como esse definitivamente prometia ser bem divertido – e Badgley certamente não se decepcionou.

DAMAN: Por enquanto, os últimos episódios da primeira temporada de “You” começaram a ser exibidos. Como alguns de nossos leitores podem não estar familiarizados com a série, você pode nos dar um breve resumo de “You” e seu papel nele?

Penn Badgley: é um show subversivo – de alguma forma, de uma forma que eu sinto que não vi antes. Ele joga muito em ser exatamente o que você acha que pode ser: um thriller espumante e digno onde o garoto conhece a garota, o garoto persegue a garota, com a estrela de “Gossip Girl”, nada menos … e isso atrai você, junto com o conceito e as normas sociais que apoiam uma narrativa tão familiar. Faz isso de maneira inteligente e autoconsciente, mas não condescendente com o espectador, porque também é, estranhamente, divertido e ágil. Os escritores fizeram um trabalho fantástico, e todos os outros realmente fizeram a sua parte ao longo do caminho, porque a coisa toda poderia cair de outra forma.

DA MAN: Na sua opinião, qual seria o motivo número um para entrar começar a assistir à série para quem perdeu a transmissão inicial?

Penn Badgley: Eu realmente não sei dizer. Eu? Se eles estão lendo esta entrevista, as chances são de que pode ser eu, seja razoável ou não. Eu pessoalmente me arrepio quando assisto. Mas sou só eu.

DA MAN: Seu personagem em “You” é basicamente um stalker. Qual é o seu segredo para retratar alguém assim de uma maneira convincente?

Penn Badgley: Nunca penso nele como um stalker quando estou caracterizado como ele. Ele é um humano lutando por coisas, desejando coisas. Eu pessoalmente o detesto como humano, mas ele é humano. Eu sempre tentei manter sua humanidade em mente, então eu não poderia reduzi-lo e cair em hábitos ou crenças típicas sobre como ele poderia fazer algo.

DA MAN: “You” aborda um problema que realmente fica sob sua pele. Há alguma parte específica da história que fez você se sentir especialmente desconfortável?

Penn Badgley: Sim. A coisa toda, na verdade. Eu estava extremamente desconfortável com Joe. Ele se masturba em público, ele julga as pessoas incessantemente… e ele mata pessoas. Ele não é apenas um perseguidor. Isso não é segredo. Isso não parece incomodar outras pessoas o suficiente, no entanto. Isso é o que é tão estranho para mim.

DA MAN: Existe uma lição a ser aprendida com “You”?

Penn Badgley: Talvez estejamos aprendendo juntos. É um experimento social, avaliando as reações a esse programa. As lições que aprendi durante toda uma temporada de filmagens foram profundas, mas não são as mesmas lições que um espectador pode levar.

DA MAN: Como você descreveria seu próprio relacionamento pessoal com as mídias sociais?

Penn Badgley: Divorciados, mas temos a guarda conjunta.

DA MAN: Pessoalmente, como você lida com os aspectos menos salgados das mídias sociais? Mesmo que você não tenha um stalker seguindo você, comentários desagradáveis e trolls irritantes são basicamente onipresentes na cena on-line de hoje, certo?

Penn Badgley: Sim. Muita oração e meditação. Isso é verdade para todas as coisas. Oração e meditação são fundamentos da vida.

DA MAN: Diante de tudo o que foi dito, você acha que ter uma forte presença na mídia social é importante para alguém em sua linha de trabalho?

Penn Badgley: Eu realmente não posso dizer, neste momento. As mídias  sociais são grandes e complexas, e as pessoas com fama são influentes, sim, mas temo que subestimemos muito a capacidade do indivíduo que não é famoso. A fama é um cavalo negro. Eu sou muito cauteloso com isso.

DA MAN: De volta a “You”, e para colocar as coisas em uma nota mais positiva, o que você diria que é a melhor parte de estar no show?

Penn Badgley: foi uma experiência enriquecedora para mim, como eu disse. Eu ainda estou aprendendo por causa do quanto o personagem me incomoda e do quanto as pessoas gostam dele.

DA MAN: O que foi que primeiro te atraiu para o show?

Penn Badgley: No começo, eu estava perturbado. O livro foi demais para mim. Eu sempre fui capaz de apreciar o projeto, como um todo, como convincente. Mas interpretar Joe não é como interpretar qualquer outra pessoa ou fazer qualquer outro trabalho no set. Foi bastante sombrio em alguns pontos. O que me convenceu foram minhas conversas com Greg e Sera [produtores Greg Berlanti e Sera Gamble]. Eles eram honestos, inteligentes. Eles me ajudaram a ver a sensibilidade especial que este show tem, e eu estou começando a apreciar isso mais e mais. É muito diferente enquanto se sente familiarizado o suficiente para que você não seja alienado como espectador.

DA MAN: Hoje, o mercado está saturado de séries de alta qualidade; no entanto, você ainda consegue não apenas se destacar, mas também obter altos índices de aprovação. Qual você acha que é a chave por trás do sucesso e aceitação do programa?

Penn Badgley: Esse é o conceito original de Caroline Kepnes traduzido pelos mestres do ofício, Greg Berlanti e Sera Gamble. Eles são todos muito espertos. Como eu disse, quanto mais eu vejo o show, mais eu estou impressionado com a visão compartilhada entre essas três pessoas. Eles estão facilitando a digestão de uma ideia complexa e difícil: que todos nós estamos tendo algumas ideias muito básicas e fundamentais sobre a natureza humana, muito erradas, particularmente em termos de amor romântico. A cultura popular é muito influente na forma como nos comportamos em nossos relacionamentos mais íntimos. isso pode levar a um comportamento tóxico realmente horrível. Esta é uma chance de ver o pior vir vivo, eu acho.

DA MAN: Existem alguns gêneros específicos ou papéis que você deseja explorar mais no futuro?

Penn Badgley: Interpretar Joe realmente me deixa cansado de interpretar alguém. Nós só vemos muitas pessoas como eu na câmera. Quanto mais cedo eu ficar atrás da lente, melhor. eEu não posso dizer mais que isso.

DA MAN: Olhando para o passado, no entanto, qual é o seu papel favorito de todos os tempos?

Penn Badgley: Jeff Buckley [em 2012, “Greetings from Tim Buckley”].

DA MAN: E aquele que realmente te colocou no mapa? Que filme ou programa de TV foi aquele que te convenceu de que você definitivamente deveria ser um ator?

Penn Badgley: Colocar-me “no mapa” e convencer-me de que sou ator são duas coisas muito diferentes. “Gossip Girl” me colocou claramente no mapa. Interpretar Jeff Buckley mostrou-me como era fundir a alegria criativa e o ofício profissional. Foi então que senti que poderia dizer definitivamente que sou um ator e que me senti bem. Mas tenha em mente que eu tenho feito isso, essencialmente, toda a minha vida. Eu era profissional aos 12 anos. Então, eu nunca me senti como um ator. Estar se sentindo bem com isso, às vezes é uma luta.

DA MAN: Quando você não está ocupado filmando ou trabalhando, como você costuma gastar seu tempo?

Penn Badgley: Eu amo ler. Eu não tenho tempo suficiente para isso. Estudar eventos históricos, pessoas, filosofias, religiões. Se não é verdade, como o mundo está em uma dor tão espantosa, eu não sei qual é o ponto – e eu considero a boa ficção verdadeira, mas boa ficção não é muito comum.

DA MAN: Última pergunta: Se um novo ator veio até você e pediu conselhos sobre como fazer isso na cena de entretenimento de hoje, o que você diria a ele ou ela?

Penn Badgley: Saia. Corra! Ou escreva e produza. Examine o quanto o seu desejo de ser conhecido, de ser famoso, está entrelaçado com o seu desejo de entrar nele. Na verdade, não recomendo a ninguém. Você só terá sucesso contra as probabilidades astronômicas, sofrerá rejeição constante e por meios que exigem que você faça sacrifícios ou compromissos dos quais ninguém pode prometer que voltará. é um sistema distorcido, isso não é segredo. Não é uma meritocracia e eu não acredito que eu teria escolhido esse caminho como um adulto. Eu fiz isso em uma idade muito jovem. Então, se você quiser fazer isso, primeiro você tem que descartar a minha sugestão de que isso quase me deixou louco e que você provavelmente não conseguirá. Esse é o primeiro passo.

 

Confira o ensaio fotográfico do Penn Badgley para a DA MAN em nossa galeria:

Tradução e adaptação: Equipe Upper GGFans
deixe o seu comentário!